segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

“É preciso aproximar a ciência do leigo”, diz diretor do Ministério C&T

Douglas Falcão Silva é do Departamento de
Popularização e Difusão da Ciência
Desde a hora em que acordamos até quando vamos dormir estamos cercados de ciência e tecnologia, seja nos alimentos que consumimos, na casa em que moramos ou no smartphone em que nos comunicamos. E divulgação científica é fundamental para que o cidadão do século XXI tenha consciência de toda a tecnologia que o rodeia.
Este e outros assuntos foram tratados pelo Diretor do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Dr. Douglas Falcão Silva, em visita à Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), nesta sexta-feira (23).

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Jornalista da UEMS é premiada em concurso de fotografia em Dourados


Eduarda recebeu prêmio da Aced durante solenidade na noite de sexta-feira (16)
A jornalista Eduarda Fernandes da Rosa, colaboradora da Assessoria de Comunicação Social da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e do Projeto Mídia e Ciência, foi uma das vencedoras do XIX Concurso de Fotografia da Associação Comercial e Empresarial de Dourados (Aced). A premiação foi na noite de sexta-feira (16).
Neste ano o concurso teve como tema “Dourados e sua Força de Trabalho” e contou com 135 fotos inscritas. Eduarda levou o prêmio de 2º lugar com a fotografia intitulada como “Colhendo Vida”.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

“Se há sonho, é só correr atrás!”, diz acadêmico com deficiência visual

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 19/12/2016
Ele pega dois ônibus para chegar à Universidade sozinho, apresenta trabalhos com os colegas, faz provas, participa de eventos. Entretanto esta não é história de um jovem acadêmico comum, é a história de Luís Carlos Freita França, que tem deficiência visual (cegueira) desde um ano de idade, que entrou na escola apenas aos 22 anos e na infância trabalhou nas ruas pedindo dinheiro para ajudar a família.

Jornalista da UEMS é premiada em concurso de fotografia em Dourados

Por: Tatiane Queiroz | Postado em: 19/12/2016
Eduarda recebeu prêmio da Aced durante solenidade na noite de sexta-feira (16)
A jornalista Eduarda Fernandes da Rosa, colaboradora da Assessoria de Comunicação Social da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e do Projeto Mídia e Ciência, foi uma das vencedoras do XIX Concurso de Fotografia da Associação Comercial e Empresarial de Dourados (Aced). A premiação foi na noite de sexta-feira (16).
Neste ano o concurso teve como tema "Dourados e sua Força de Trabalho" e contou com 135 fotos inscritas. Eduarda levou o prêmio de 2º lugar com a fotografia intitulada como “Colhendo Vida”.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

“Aprendi a ler aos 13 anos e hoje conquisto meu diploma universitário”



Por: Eduarda Rosa | Postado em: 16/12/2016
Guilhermina recebendo o diploma das mãos da pró-reitora, Adriana Rochas
– O meu conhecimento é uma coisa que ninguém tira de mim. Uma bolsa e um sapato acaba, agora o conhecimento ninguém tira de mim! – é o que destaca Guilhermina Teixeira de Souza Mascarenhas Acunha, de 32 anos. Ela que aprendeu a ler aos 13 anos e teve uma trajetória de dificuldades ao longo da vida é recém formada em Administração Pública pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).
A UEMS está presente em 15 cidades com unidades físicas, além de seis polos de Educação a Distância. Mas, como defende o reitor Fábio Edir dos Santos Costa, “não são as estruturas que formam a UEMS, e sim as pessoas”. É cada professor, técnico administrativo, funcionário e, principalmente, os alunos que fazem desta Instituição uma Universidade. E é a cada formatura que, ao testemunhar a realização de tantos sonhos que a Universidade reafirma sua missão.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Estudo da UEMS mostra potencial da economia criativa no Pantanal de MS

Eduarda Rosa

Em épocas de crise, ter criatividade é essencial. E a economia criativa vem ao encontro das comunidades, utilizando da própria cultura, tradições e produção de artesanatos para melhorar a economia local. Um estudo produzido no Mestrado em Desenvolvimento Regional e de Sistemas Produtivos (PPGDRS), da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul em Ponta Porã, mostrou que o patrimônio cultural brasileiro é riqueza abundante para o desenvolvimento da Economia Criativa, destacando dentre eles no Mato Grosso do Sul, o Pantanal.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Fantasia ou realidade, como falar sobre morte com as crianças?


Eduarda Rosa

Com seu manto e capuz negros, foice e gadanha em mãos em um ambiente quase sempre cercado de escuridão e árvores secas, a imagem que popularmente construímos sobre a morte no Brasil reforça ainda mais os estigmas e tabu que envolvem o tema. Se a iconografia da morte enche de medo muitos adultos, a simbologia também não ajuda a desmistificar o assunto quando o interlocutor é uma criança.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Pesquisadoras da UEMS criam sorvete nutritivo com Maracujá do Cerrado

Eduarda Rosa
Um sorvete sempre é bem-vindo, principalmente, em dias mais quentes e se ele for nutritivo e fizer bem a saúde, melhor ainda. Pensando em todos estes aspectos, pesquisadoras do curso de Engenharia de Alimentos, da unidade de Naviraí, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), desenvolveram um sorvete de Maracujá do Cerrado, enriquecido com a farinha da casca.

UEMS promove primeira defesa de TCC em Guarani

Reseno Jorge foi o primeiro acadêmico
a apresentar o TCC em Guarani
Eduarda Rosa

O acadêmico Reseno Jorge, do curso de Letras Português/Espanhol, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), foi o primeiro aluno da Instituição a apresentar oralmente o Trabalho de Conclusão de Curso em Guarani, também, pela primeira vez, com uma banca avaliadora de professores fluentes no idioma.
A apresentação foi feita em Português e Guarani, com parte da arguição apenas em Guarani, no dia 21 de novembro. Para o professor Adilson Crepalde, orientador do trabalho, a apresentação foi um motivo de orgulho e emoção para os cursos de Letras da Universidade.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Aced divulga ganhadores do XIX Concurso de Fotografia

Julgamento foi na tarde desta quarta-feira (25), na Aced (Foto: Assessoria)
O julgamento do XIX Concurso de Fotografia Aced – "Dourados e sua Força de Trabalho" foi realizado na tarde desta terça-feira (25), no hall do auditório da Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados). Na categoria Câmera Fotográfica, a imagem intitulada "O Sapateiro: Mãos que Consertam", de autoria de José Aparecido Frota, venceu em 1º lugar o concurso.
Na mesma categoria, ficou em 2º lugar a fotografia "Colhendo Vida", registrada por Eduarda Fernandes da Rosa. Em 3º lugar ficou a imagem intitulada "A Bicicletaria Contribuindo para a Mobilidade Urbana Ecológica", registrada por Paulo Yuji Takarada. Já na categoria "Telefone Celular", que é de premiação única, venceu a fotografia "Agricultura Familiar", de Franz Maciel Mendes.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

“Investir em universidade gera crescimento na economia”, diz Aldo Bona

Presidente da Abruem, Aldo Nelson Bona
Eduarda Rosa

“A presença de universidades no interior de um Estado, como é o caso da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS), são fundamentais para que os Estados tenham um desenvolvimento harmonioso – tanto na capital, como no interior. E neste sentido o fortalecimento da Universidade é decisivo para isto”, ressaltou o presidente da Associação Brasileira de Universidade Estaduais e Municipais, Aldo Nelson Bona, durante o seminário Diálogos Republicanos, no Tribunal de Contas do Estado, em Campo Grande, nesta quinta-feira (10).

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Pesquisa mostra que microalga pode ser utilizada na produção de biodiesel

As microalgas também são multiplicadas em laboratório
Eduarda Rosa

Já é amplamente difundida a ideia da produção de biodiesel a partir de óleo de soja e outras oleaginosas, porém, pesquisadores da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) vêm estudando outras fontes de matéria-prima para este fim, sendo uma delas, as microalgas.
Um dos trabalhos nesta área é a iniciação científica realizada pelo acadêmico de Engenharia Ambiental, Jairo Pereira de Oliveira Junior, orientado pela professora Leila Cristina Konradt Moraes. Na pesquisa, o biodiesel, mesmo produzido em pequena escala, teve a sua estabilidade oxidativa próxima aos valores previstos como padrão pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

SNCT: UEMS recebe cerca de 500 alunos de dez escolas da região

Estudantes de dez escolas de Dourados
e região visitaram a UEMS
Eduarda Rosa
A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) recebeu cerca de 500 alunos de dez escolas do campo e urbanas de Dourados e Itaporã nesta quinta-feira (20). Eles formaram uma grande feira de ciências junto aos acadêmicos da Universidade, além de visitarem os laboratórios e participarem de diversas atividades. A programação faz parte da 13ª Semana Nacional de Tecnologia (SNCT), que neste ano tem o tema “A Ciência Alimentando o Brasil”.
Participaram estudantes desde o Ceim (Centro de Educação Infantil Municipal) até o 3° ano do Ensino Médio. Eles puderam apresentar trabalhos e conhecer mais sobre diversas áreas, como por exemplo, o funcionamento do fogão solar, a fabricação cerveja e chocolate. Puderam assistir a contação de histórias e exibição de filmes educativos sobre a importância de preservar o meio ambiente. Além de visitar laboratórios, fazer um tour pela Universidade e conhecer um pouco mais sobre astronomia em sessões do Planetário – organizadas pela Secretaria Municipal de Educação de Dourados.
Todos os cursos da Universidade foram envolvidos, mas mais diretamente os de Letras, Biologia, Física, Química, Pedagogia e o Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais. De acordo com o professor da UEMS, Adilson Crepalde, o objetivo é que haja troca de informações entre os alunos das escolas do campo e os universitários.
“Nós percebemos a consciência ecológica que as escolas do campo estão desenvolvendo, quando se conversa com os alunos a fluência deles em relação aquilo que eles fazem, eles conhecem as plantas, o que produzem, como controlam as pragas de maneira sustentável. Eles conhecem do que estão explicando, por isto tem facilidade para falar, daí se percebe o quanto informados e engajados eles estão na produção de alimentos orgânicos”, disse Crepalde.
Segundo o Assessor de Educação no Campo da Coordenadoria Regional de Educação da Grande Dourados, Mauro Sergio Almeida, com o tema da SNCT foi possível demostrar vários experimentos feitos nas escolas rurais em relação a segurança alimentar e agricultura familiar.
“Temos um currículo diferenciado na escola do campo que é Terra Vida e Trabalho (TVT), então nós trabalhamos agroecologia, sustentabilidade e agricultura familiar. Ela é uma disciplina que fomenta espaços para projetos interdisciplinares, específica do campo. Os professores tem especificidades do campo para poder trabalhar as regionalidades. Então cada escola trabalha a sua regionalidade”, explicou Almeida.
A aluna da Escola Estadual Dom Bosco, de Indápolis, Isabela Santos Silva, de 16 anos, apresentou um trabalho sobre biofertilizantes e aproveitou para conhecer a Universidade. “Os biofertilizantes são a base de cinzas, adubo e compostera, que são formas tradicionais que não vão agredir nem as plantas, nem a saúde de quem consome os vegetais. Achei bastante interessante este dia porque é uma forma dos alunos interagirem com a faculdade, poder conhecer várias outras pessoas e saber de muitas coisa que eu desconhecia”, relatou a garota.

http://www.uems.br/noticias/detalhes/snct-uems-recebe-cerca-de-500-alunos-de-escolas-de-dourados-e-regiao-145723

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Agricultores dão aula sobre agroecologia durante a SNCT da UEMS

Agricultores explicaram sobre o funcionamento do sistema agroecológico
Eduarda Rosa
Os agricultores da Feira Agroecológica do Parque dos Ipês, em Dourados, deram uma verdadeira aula sobre o sistema de produção agroecológico, nesta terça-feira (18),  na própria Feira, durante programação da 13ª Semana Nacional de Tecnologia (SNCT), que neste ano tem o tema “A Ciência Alimentando o Brasil” e objetiva aproximar a população dos conhecimentos gerados na Universidade e na produção alimentar do campo.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

UEMS implanta 11 Centros de Pesquisa, Ensino e Extensão no Estado


Eduarda Rosa
A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) está em processo de implantação de onze Centros de Pesquisa, Ensino e Extensão (Cepex) que serão referência em diversas áreas na Universidade, como educação, recursos naturais, linguagens, ciência animal, agronomia, saúde, engenharias, raça e etnia, em seis cidades de Mato Groso do Sul.
Os Cepex estão sendo implantados nas unidades da UEMS de Cassilândia, Aquidauana, Paranaíba, Campo Grande, Dourados e Naviraí e tem o objetivo de promover o desenvolvimento científico e tecnológico dentro das suas linhas de atuação, criar ações voltadas prioritariamente ao desenvolvimento do estado de Mato Grosso do Sul e da sociedade em geral.

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

“É preciso divulgar o conhecimento para a sociedade”, diz docente da UFRJ

Professor da UFRJ, Alfred Sholl-Franco
Eduarda Rosa
Com o curioso título “O Complexo do Ovo Rachado: A reconstrução da relação Universidade e Sociedade”, o docente da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Alfred Sholl-Franco, ressaltou a importância de a Universidade “quebrar a casca de proteção” e divulgar os conhecimentos produzidos, na tarde desta quinta-feira (29), durante o  III Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão (ENEPEX), realizado pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Pesquisadora usa gravações de voz no celular em aulas de português

Eduarda Rosa
Algumas salas de aula possuem até avisos na parede “Proibido usar celular”, contudo a proposta da pesquisadora Fátima Eveline Vareiro Teixeira, formada pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), no Mestrado Profissional em Letras, foi justamente inserir o aparelho como forma de ajudar no aprendizado dos alunos, durante as aulas de língua portuguesa. A docente utilizou o aplicativo de gravação de voz, para que os alunos pudessem identificar possíveis erros ao lerem e escutarem seus próprios textos.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

“É preciso aproximar a ciência do leigo”, diz diretor do Ministério C&T

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 26/09/2016
Douglas Falcão Silva é do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência
Desde a hora em que acordamos até quando vamos dormir estamos cercados de ciência e tecnologia, seja nos alimentos que consumimos, na casa em que moramos ou no smartphone em que nos comunicamos. E divulgação científica é fundamental para que o cidadão do século XXI tenha consciência de toda a tecnologia que o rodeia.
Este e outros assuntos foram tratados pelo Diretor do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Dr. Douglas Falcão Silva, em visita à Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), nesta sexta-feira (23).
Confira a entrevista:

terça-feira, 20 de setembro de 2016

“Saneamento ecológico transforma problema em solução”, diz especialista

Adriana Farina Galbiati trabalha com saneamento ecológico
O esgoto é um grande problema, principalmente, nas grandes cidades, mas a técnica de saneamento ecológico pode transformar este problema em uma solução. Isto é o que afirmou a Engenheira Ambiental, Adriana Farina Galbiati, durante a V Semana Acadêmica do Curso de Engenharia Ambiental (SEMEA), na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), em Dourados.
A professora é especialista em permacultura que é o planejamento do design dos sistemas humanos sustentáveis em equilíbrio com a natureza. Dentro deste conceito está o saneamento ecológico que não encara o esgoto como algo que tem que ser mandado para longe para ser tratado.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

12 canais do Youtube para você aprender se divertindo

Eduarda Rosa
Separamos 12 canais do Youtube para você que é curioso e sai da sala de aula querendo saber um pouco mais sobre o assunto estudado. Entre os listados estão vídeos dos mais variados assuntos: anatomia, ciência, história, literatura, robótica, biologia, psicologia, astronomia, entre outros.

1 - Manual do Mundo
Você é do tipo curioso que gostava de abrir os brinquedos para ver o que tinha dentro? Que gosta de inventar e montar suas próprias coisas? Então o Manual do Mundo vai te dar muitas ideias, por exemplo, de como fazer: uma luneta caseira de PVC; sua própria máquina de doces; capinha de celular com cola quente; um vaso de plantas de Bulbassauro. Além de curiosidades – como é feito o cimento, lápis –, pegadinhas e receitas de comidas diferentes.

2 - Anatomia Fácil
Esta é para você que está com dificuldade nas aulas de anatomia ou tem curiosidades sobre o corpo humano. No canal Anatomia Fácil do Fisioterapeuta, Rogério Gozzi, especialista em fisiologia do exercício e biomecânica do aparelho locomotor pela Faculdade de Medicina da USP, você aprende sobre anatomia humana por meio de vídeo aulas rápidas, simples e objetivas. Ele próprio faz desenhos e incentiva a aprender mais desenhando.


3 - Se Liga Nessa História!
Esse canal é para você que gosta de história. E talvez até para quem não simpatize muito, pois traz as informações com humor e uma linguagem bem descontraída. 
Tem várias playlists com vídeo aulas da história do Brasil, Idade Média, Pré-história, Idade Antiga, Idade Média, além de dicas para o Enem e vestibulares.
Os vídeos são do professor Walter, formado em História pela Universidade de São Paulo (USP).


4- Ciência Todo Dia
No canal 'Ciência Todo Dia' é possível aprender muitas curiosidades da ciência de maneira fácil e rápida, os vídeos são, em sua maioria, curtos, mas trazem muitas informações bacanas, tornando assim a ciência esteja ao alcance de todos.


5 - Nerdologia
O Nerdologia, como o próprio nome diz, é para quem gosta da cultura nerd com uma análise científica. Os vídeos são de variados temas: física, biologia, história, social, química, astronomia, psicologia, tecnologia, geologia, engenharia e ecologia. Os vídeos são do biólogo e pesquisador, Átila Iamarino, que traz muitas animações legais que facilitam muito o entendimento sobre o assunto exposto.


6 - Peixe Babel
Gosta de robótica? Então o canal Peixe Babel pode te trazer muitas novidades. O nome Peixe Babel vem do livro O Guia do Mochileiro das Galáxias. É uma espécie fictícia de peixe que ao ser colocado dentro do seu ouvido (ou melhor, no seu cérebro) te torna capaz de entender qualquer idioma. Assim como o Peixe Babel da ficção, esse canal é voltado para explicar de forma acessível temas de uma área pouco explorada na mídia e pouco entendida, a robótica.
Canal voltado para explicar de forma acessível temas de uma área pouco explorada na mídia e pouco entendida, a robótica.


7 - Biologia Total com Prof. Jubilut
Gosta de saber mais sobre a natureza e os animais? O Biologia Total com o professor Paulo Jubilut ensina sobre essa ciência de forma dinâmica e lúdica. Além disso, várias dicas são direcionadas para quem vai fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).


8 - Minutos Psíquicos
Se você se interessa pelo universo psíquico, os vídeos do “Minutos Psíquicos” são uma boa opção para você entender mais deste assunto, com vídeos curtos, ilustrados e bem explicativos.


9 - Ponto em Comum
“Coisas incríveis aconteceram, estão acontecendo, e vão acontecer. Vamos descobrir?”, este é o convite que a descrição do canal faz. Cada vídeo, que dura em média seis minutos, fala sobre curiosidade que você pode ter dúvidas ou aquelas que você nunca pensou, como por exemplo: “Podemos viver para sempre?”; “4 animais que fazem fotossíntese”; “Você é um Alien?”; “E se a Lua Fosse Feita de Queijo?”, entre muitos outros.


10 - Prof. André Azevedo da Fonseca
O canal do Prof. André Azevedo da Fonseca é para quem é apaixonado por ciências humanas, ele discute sobre Educação, Comunicação, Política entre outros assuntos relacionados à área. O Professor disponibiliza séries de vídeos completas sobre “Pedagogia da Autonomia, de Paulo Freire”, “Sociedade sem escolas, de Ivan Illich” e “Mitos e mitologias políticas”, além de vários outros sobre temas diversos.

11 - Space Today
Essa dica vai para os apaixonados pelos mistérios do espaço. O SpaceToday traz temas das áreas de astronomia, astrofísica, astronáutica e áreas afins que são debatidos com base nas últimas pesquisas científicas.


12 - Me Salva!
O “Me Salva” é para ajudar quem está com dificuldades em matérias de diversas áreas: redação, matemática, física, botânica, cálculo, ciências da saúde, entre outros.

Publicado originalmente em: http://www.uems.br/noticias/detalhes/12-canais-do-youtube-para-voce-aprender-se-divertindo-172648

 

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Docentes criam dispositivo que pode ajudar na segurança em aeroportos

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 14/09/2016
Físico e professor da UEMS, Armando Cirilo de Souza
As autoridades têm se preocupado cada vez mais com a segurança nos aeroportos, principalmente, com o objetivo de prevenir atentados terroristas. Para tentar solucionar este e outros problemas, o físico e professor Armando Cirilo de Souza, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), desenvolveu um trabalho em conjunto com Mauro Henrique de Paula, docente já falecido da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), em que criaram uma Câmara de Líquido Fototérmica. Este dispositivo é capaz de detectar quantidades de água em outras substâncias líquidas, possibilitando assim identificar desde explosivos líquidos até água no etanol ou na gasolina.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Trabalho de aluno da UEMS sobre inundações será implantado em Campinas

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 01/09/2016
Cassiano Descovi cursou Engenharia Ambiental na UEMS
Já pensou se as cidades pudessem saber quais são os pontos mais propensos a ocorrer inundações para minimizar os impactos? E sim, isso é possível! O Engenheiro Ambiental, recém-formado pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Cassiano Descovi, desenvolveu uma nova metodologia de cruzamento de mapas geográficos em que é possível detectar quais são as áreas mais suscetíveis a inundações. A ferramenta será adotada pela Defesa Civil de Campinas, São Paulo.

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

“É preciso reinventar a licenciatura”, diz professor da UnB, Pedro Demo

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 31/08/2016
Pedro Demo é professor da Universidade de Brasília
Na noite desta terça-feira (30), a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) discutiu sobre as políticas educacionais do Estado, durante o 1° Encontro de Licenciaturas promovido pela UEMS. O evento contou com a presença do especialista em educação e professor da Universidade de Brasília (UnB), Pedro Demo, que defendeu a necessidade de “reinventar a licenciatura”, e da coordenadora de políticas da educação básica da Secretaria de Estado de Educação de MS, Fabiana Borges, em uma mesa redonda intermediada pela professora, Silvane Aparecida de Freitas.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

UEMS forma primeiro químico industrial indígena de MS

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 30/08/2016
Namir recebendo o diploma
“Estou muito orgulhoso por poder representar meu povo. O que levo de melhor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) é o conhecimento e a rotina de me esforçar sempre mais”, disse o primeiro químico industrial indígena de Mato Grosso do Sul, Namir Medeiros de Oliveira, de 28 anos, que é da etnia Terena. Ele recebeu o diploma em uma colação de grau extraordinária na última sexta-feira (26), na UEMS, em Dourados.
Namir Oliveira nasceu na Aldeia Ipegue, em Aquidauana, mas logo foi morar na área urbana junto aos familiares, teve oportunidade de estudar em escola particular e antes de entrar no curso de Química Industrial da UEMS fez o curso técnico em química, de dois anos. Para cursar a faculdade, foi morar com parentes em Maracaju e fazia o trajeto diariamente de ônibus para Dourados.
“Eu tive muita sorte por ter a Rede de Saberes na UEMS, me ajudou muito, principalmente, nas viagens para Londrina, Paraná, e Goiânia, Goiás, para apresentar meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Então o principal da UEMS para mim foi a ajuda da Rede de Saberes”, reconheceu o químico industrial.
Namir já fez a pré-seleção para um emprego em Campo Grande e está aguardando o resultado. Mas ele tem um grande sonho, que é abrir uma empresa a partir do seu TCC. “Meu trabalho foi sobre leveduras industriais, produção de etanol e o processo químico/físico da levedura, pesquisei especificamente sobre a cachaça, então até estou querendo abrir uma cachaçaria para mim”, relatou.
Namir e a família 
O Programa “Rede de Saberes” na UEMS tem o objetivo de apoiar a permanência na educação superior de estudantes indígenas. De acordo com a coordenadora do projeto, Beatriz Landa, a formação deste aluno mostrou que a função das ações afirmativas vem funcionando. “Os acadêmicos indígenas estão buscando formações também no bacharelado, pois a maioria cursa as licenciaturas para contribuir com a educação escolar nas terras indígenas. Então isto mostra que a função das ações afirmativas está atingindo os objetivos previstos, pois permite que os indígenas possam estar nos espaços que antes só eram acessados pelos não índios”, destacou.
Para a coordenadora do curso de Química Industrial, Marcelina Ovelar Solaliendres,  Namir   Oliveira  surpreendeu como aluno. “Nós já tivemos outros acadêmicos indígenas no curso, mas ele foi o primeiro que se formou, pois ele era muito esforçado, lutador, participativo. É um orgulho o vermos  formado, pois o curso não é fácil, contudo Namir sempre corria atrás das disciplinas, estágio. Ele mereceu, é um vencedor”, ressaltou a professora.
Namir e Antônia, representante da Rede de Saberes

Produzido pelo Projeto Mídia & Ciência UEMS/Fundect

Publicado originalmente em: http://www.uems.br/noticias/detalhes/uems-forma-primeiro-quimico-industrial-indigena-de-ms-102904

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Projeto da UEMS usa histórias com músicas no ensino de crianças

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 24/08/2016
Crianças curiosas para saber mais sobre o violino
Aprender brincando com música é muito mais divertido.  E um grupo da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) tem utilizado o recurso da musicalização, unida à contação de histórias e brincadeiras, no ensino de crianças de séries iniciais de um projeto do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) do curso de Pedagogia, de Dourados.
A musicalização contribui para a aprendizagem infantil, seja no desenvolvimento motor, da audição, do domínio rítmico, de habilidades, do equilíbrio, da autoestima, o autoconhecimento, a expressão, a formulação de hipóteses e a elaboração de conceitos. Também proporciona a percepção dos sons e do silêncio. Somado a isso, a apreciação de música impulsiona a capacidade de observação. São muitos os benefícios, por isso a música faz parte do documento Referenciais Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (RCNEIS) brasileiro.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Estas 12 grandes marcas têm algo em comum: nasceram na Universidade

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 22/08/2016
[André Mazini, Eduarda Rosa e Tatiane Queiroz - Produzido pelo Projeto Mídia e Ciência UEMS/Fundect]
A vida universitária é recheada de experiências que guardamos para toda a vida. Festas, amores, desamores, aprendizados, e muitos projetos. Mas já imaginou se, além de histórias para contar você pudesse sair da universidade dono/a de uma empresa que fatura mais de R$4 milhões por hora. Não, você não leu errado, é POR HORA mesmo.
Pois isso foi o que Zuckerberg recebeu em 2015, fruto de uma ideia de empresa que nasceu enquanto estava na Universidade. E assim como ele, outras grandes marcas surgiram de ideias que os seus criadores tiveram enquanto estavam na universidade.
Por isso se você tem um perfil empreendedor e está na Universidade, esta lista foi preparada para te inspirar a sonhar, planejar e batalhar para que, no futuro, sua empresa esteja nesta lisa.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Formigas podem transmitir doenças em hospitais, alertam estudos da UEMS

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 19/08/2016
Foto ilustrativa
Já pensou se qualquer um pudesse ter acesso a todos os locais de um hospital, sem os devidos cuidados com a higiene? Pois é isto que as pequenas formigas fazem. O problema é que, com trânsito livre, elas podem transmitir doenças aos pacientes. É o que mostram os estudos realizados pelo Laboratório de Ecologia Comportamental (Labeco), que tem investigado o tema na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Projeto Rondon: Vivências e Experiências pelo Brasil


Produção: Eduarda Rosa e Rubens Urue    -     Edição e arte: André Mazini

Viver aventuras e ainda ter uma grande “lição de vida e cidadania”. Isto e muito mais é o que trazem nas bagagens os rondonistas: universitários que aceitaram transmitir o que aprenderam para populações carentes e com elas conviverem duas semanas.
Sedentos por aventuras, oito acadêmicos e um professor da UEMS tiveram a oportunidade de participar da Operação Forte dos Reis Magos, do Projeto Rondon, em Acari, no Rio Grande do Norte, de 9 e 24 de julho deste ano. Lá desenvolveram atividades relacionadas a meio ambiente, desenvolvimento, trabalho, comunicação e tecnologias.

15 filmes para renovar seu olhar sobre a Educação [listas_UEMS]

Por: André Mazini | Postado em: 03/08/2016
(Produção: Eduarda Rosa, Mídia & Ciência UEMS/Fundect)
Alguém tem dúvida sobre a importância da educação, ou sobre o impacto positivo que ela pode provocar na vida de alguém?
Temos certeza que não e por isso propomos uma lista de 15 filmes que vão te ajudar a ter uma visão ainda mais profunda sobre educação.
A lista vale para todos, mas esperamos que seja ainda mais aproveitada por estudantes e/ou profissionais da área da educação.
Podemos começar?
Ah, uma observação importante. Sugerimos abaixo os links dos filmes que estão disponíveis na internet, mas nossa indicação é que adquiram ou loquem os filmes, a fim de aproveitá-los com a qualidade que merecem, ok?!

quinta-feira, 28 de julho de 2016

UEMS reúne instituições de quatro países para discutir Rota Bioceânica

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 28/07/2016
Ministério das Relações Exteriores e UEMS firmaram parceria
Na manhã desta quinta-feira (28) a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), juntamente com o Governo do Estado e o Ministério das Relações Exteriores, reuniu representantes de setores públicos e privados do Brasil, Paraguai, Argentina e Chile interessados em ações colaborativas, com o intuito de promover a integração e fortalecer as relações entre os países que fazem parte do projeto da Rota Bioceânica.
A partir dessa reunião, realizada na unidade da UEMS em Campo Grande, constituiu-se a Rede Universitária do Corredor Bioceânico, cujas iniciativas de apoio serão coordenadas pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Na ocasião foi assinada a “Carta de Campo Grande” que formaliza o compromisso firmado.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Alunos transformam lixo eletrônico em robôs em escolas de MS

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 19/07/2016
Os robôs são construídos com peças velhas de computadores
Já imaginou aprender a construir robôs na escola? Muitos pensam que é caro, contudo, um professor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) teve a ideia de usar o chamado lixo eletrônico, ou seja, peças velhas de computadores, celulares, baterias e eletrodomésticos, para ensinar alunos a construírem robôs.
O trabalho é feito pelo professor Dalton Pedroso de Queiroz, do curso de Ciência da Computação, que leva educação ambiental para escolas e de forma multidisciplinar e inovadora utiliza o Lixo Eletrônico para ensinar robótica. Segundo ele, esse tipo de lixo é bastante nocivo à saúde humana, mas a grande maioria da população em geral não sabe disso.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Mestrados e Doutorados da UEMS terão investimento de R$ 1,4 milhão

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 13/07/2016
Assinatura dos termos de outorga ocorreu nesta segunda-feira (11)
Nos últimos cinco anos, a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) alavancou o número de mestrados e doutorados, passando de sete para 16 cursos. Destes, 13 mestrados e dois doutorados receberão mais de R$ 1,4 milhão em investimentos que serão repassados pelo Governo do Estado.
Para a Pró-reitora de pesquisa e pós-graduação, Luciana Ferreira da Silva, esse recurso é fundamental para o apoio e fortalecimento dos programas de pós-graduação da UEMS, “principalmente no cenário atual em que tivemos cortes significativos do Governo Federal, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e de outros convênios que suportam estes programas”, enfatizou.

Cursos de agrárias da UEMS contarão com R$ cerca de 800 mil do Governo do Estado

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 13/07/2016
Integração lavoura-pecuária é testada em Aquidauana
Os oito cursos da área de Ciências Agrárias da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), dentre eles quatro de graduação e quatro de pós-graduação, receberão R$ 794.345 mil em repasses do Governo do Estado.
Os cursos desta área na UEMS estão concentrados nas unidades universitárias de Aquidauana e Cassilândia, se consolidando como importantes polos de pesquisa do setor agropecuário de Mato Grosso do Sul.
Na Unidade de Aquidauana os recursos somam cerca de R$ 600 mil e atenderão aos cursos de graduação em Engenharia Florestal, Zootecnia e Agronomia, além dos de pós-graduação que são os programas de Mestrado e Doutorado em Agronomia e o mestrado em Zootecnia.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Música, dança e diversão marcam Arraiá da Melhor Idade na UEMS

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 07/07/2016
O projeto da Universidade Aberta da Melhor Idade (Unami), da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), encerrou as atividades do semestre, com a realização de um arraiá. O evento foi na quarta-feira (6), no Espaço Guaraoby.
De acordo com a coordenadora do projeto e pró-reitora de extensão, Márcia Alvarenga, o 5° semestre de atividades encerra com cerca de 60 idosos. “Avalio de forma positiva, pelo relato deles, principalmente, dos que estão desde o começo, em 2014. O que vemos bem positivamente é a questão da interação entre eles, novas amizades, novos conhecimentos, porque muito dos conteúdos que eles aprendem são coisas que eles realmente não sabiam”.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Com jogos, professora ensina matemática e aumenta rendimento em sala

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 27/06/2016
Érica Melissa Ottersbach é mestre pela UEMS
Aprender a calcular uma equação matemática pode ser difícil para alguns alunos e fácil para outros. Então, para diminuir estas dificuldades, a professora Érica Melissa Ottersbach experimentou o uso de jogos no ensino de equações de 1° grau e teve bons resultados, provocando a melhora na aprendizagem e no rendimento dos alunos. A pesquisa foi desenvolvida no Mestrado Profissional em Matemática (ProfMat), na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).
Equações “são igualdades que contém pelo menos uma letra, chamada de incógnita, que representa um número desconhecido”, segundo definição do livro Tudo é Matemática (DANTE, 2009). Por exemplo: x + 5 = 15 | x = 15 – 5 | x = 10.
A mestre, orientada pela professora Drª. Maristela Missio, aplicou dois jogos com a turma do 7º ano, do período matutino, de uma escola estadual de Dourados: "Jogo das Equações" (um quebra-cabeça) e "Labirinto das Equações" (jogado no computador).
Conforme explica Érica Ottersbach, "O jogo das Equações" se trata de um quebra cabeça que possui equações que podem ser alteradas conforme a necessidade. As peças devem ser montadas de maneira que ao final de sua execução, forme um quadrado, formado por 16 quadrados menores, que se encaixam formando um quadrado de 4 por 4.
No primeiro momento da execução do jogo, o aluno deve construir o quadrado com as equações para em seguida recortá-lo. Feito isso, as peças devem ser embaralhadas de maneira que o aluno construa novamente o quadrado a partir das equações, resolvendo as equações e encaixando no seu resultado.
“Observei, que com a aplicação dessa atividade lúdica, os educandos foram obrigados a trocar o comodismo de apenas copiar a matéria no caderno, para discutirem, entre si, como eles poderiam resolver aquelas equações”, observou a professora.
Também foi aplicado o "Jogo do Labirinto das Equações", que por se tratar de um jogo tecnológico, foi executado, individualmente, na Sala de Tecnologia Educacional. O jogo tem por finalidade que o aluno resolva a equação rapidamente, onde o objetivo do jogador resume-se em prosseguir no labirinto, levando o menino para o labirinto seguinte, isto levando em conta o tempo em que as respostas possíveis ficam disponíveis na tela.
Antes da professora aplicar os jogos, o conteúdo de equação de 1º grau foi lecionado de forma tradicional e após este momento os alunos passaram por uma avaliação, que resultou em apenas 25% da sala com notas acima da média. Após as experiências nos dois jogos foi aplicada uma nova avaliação e nesta, 62,5% dos alunos ficaram com notas acima da média.
“Com os resultados, comprova-se que as atividades lúdicas podem, sim, serem eficazes ferramentas auxiliares dos educadores na hora de lecionar o conteúdo de equação de 1º grau com uma incógnita, pois os números mostram que os alunos tiveram uma melhor absorção do conteúdo estudado”, conclui a mestre.
Para acessar o jogo Labirinto das Equações entre no endereço: https://sites.google.com/site/profclarissamat/labirinto-das-equacoes
Para conferir as instruções do Jogo das Equações acesse: http://profmatjeane.blogspot.com.br/2012/09/jogo-das-equacoes.html

Produzido pelo Projeto Mídia e Ciência UEMS/Fundect