quinta-feira, 28 de julho de 2016

UEMS reúne instituições de quatro países para discutir Rota Bioceânica

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 28/07/2016
Ministério das Relações Exteriores e UEMS firmaram parceria
Na manhã desta quinta-feira (28) a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), juntamente com o Governo do Estado e o Ministério das Relações Exteriores, reuniu representantes de setores públicos e privados do Brasil, Paraguai, Argentina e Chile interessados em ações colaborativas, com o intuito de promover a integração e fortalecer as relações entre os países que fazem parte do projeto da Rota Bioceânica.
A partir dessa reunião, realizada na unidade da UEMS em Campo Grande, constituiu-se a Rede Universitária do Corredor Bioceânico, cujas iniciativas de apoio serão coordenadas pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Na ocasião foi assinada a “Carta de Campo Grande” que formaliza o compromisso firmado.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Alunos transformam lixo eletrônico em robôs em escolas de MS

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 19/07/2016
Os robôs são construídos com peças velhas de computadores
Já imaginou aprender a construir robôs na escola? Muitos pensam que é caro, contudo, um professor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) teve a ideia de usar o chamado lixo eletrônico, ou seja, peças velhas de computadores, celulares, baterias e eletrodomésticos, para ensinar alunos a construírem robôs.
O trabalho é feito pelo professor Dalton Pedroso de Queiroz, do curso de Ciência da Computação, que leva educação ambiental para escolas e de forma multidisciplinar e inovadora utiliza o Lixo Eletrônico para ensinar robótica. Segundo ele, esse tipo de lixo é bastante nocivo à saúde humana, mas a grande maioria da população em geral não sabe disso.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Mestrados e Doutorados da UEMS terão investimento de R$ 1,4 milhão

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 13/07/2016
Assinatura dos termos de outorga ocorreu nesta segunda-feira (11)
Nos últimos cinco anos, a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) alavancou o número de mestrados e doutorados, passando de sete para 16 cursos. Destes, 13 mestrados e dois doutorados receberão mais de R$ 1,4 milhão em investimentos que serão repassados pelo Governo do Estado.
Para a Pró-reitora de pesquisa e pós-graduação, Luciana Ferreira da Silva, esse recurso é fundamental para o apoio e fortalecimento dos programas de pós-graduação da UEMS, “principalmente no cenário atual em que tivemos cortes significativos do Governo Federal, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e de outros convênios que suportam estes programas”, enfatizou.

Cursos de agrárias da UEMS contarão com R$ cerca de 800 mil do Governo do Estado

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 13/07/2016
Integração lavoura-pecuária é testada em Aquidauana
Os oito cursos da área de Ciências Agrárias da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), dentre eles quatro de graduação e quatro de pós-graduação, receberão R$ 794.345 mil em repasses do Governo do Estado.
Os cursos desta área na UEMS estão concentrados nas unidades universitárias de Aquidauana e Cassilândia, se consolidando como importantes polos de pesquisa do setor agropecuário de Mato Grosso do Sul.
Na Unidade de Aquidauana os recursos somam cerca de R$ 600 mil e atenderão aos cursos de graduação em Engenharia Florestal, Zootecnia e Agronomia, além dos de pós-graduação que são os programas de Mestrado e Doutorado em Agronomia e o mestrado em Zootecnia.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Música, dança e diversão marcam Arraiá da Melhor Idade na UEMS

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 07/07/2016
O projeto da Universidade Aberta da Melhor Idade (Unami), da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), encerrou as atividades do semestre, com a realização de um arraiá. O evento foi na quarta-feira (6), no Espaço Guaraoby.
De acordo com a coordenadora do projeto e pró-reitora de extensão, Márcia Alvarenga, o 5° semestre de atividades encerra com cerca de 60 idosos. “Avalio de forma positiva, pelo relato deles, principalmente, dos que estão desde o começo, em 2014. O que vemos bem positivamente é a questão da interação entre eles, novas amizades, novos conhecimentos, porque muito dos conteúdos que eles aprendem são coisas que eles realmente não sabiam”.