terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Observatório Solar era “aplicativo” de índios brasileiros há mil anos

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 12/01/2016

O Observatório Solar Indígena da UEMS faz parte do catálogo de Centros e Museus de Ciência do Brasil
Saber a previsão do tempo, a época de plantar, colher ou ter filhos é muito fácil com os conhecimentos e as tecnologias atuais, mas há cerca de mil anos, no sul do Brasil, não era tão simples ter estas informações. Então índios brasileiros criaram o Observatório Solar e com este “equipamento”, formado basicamente de pedras, eles poderiam saber as respostas das perguntas anteriores e muitas outras.
“Se fosse hoje, o Observatório seria uma espécie de aplicativo de celular, em comparação devido as utilidades que ele tinha”, disse o professor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Edmilson de Souza. Tantas são as curiosidades por trás deste dispositivo, que a UEMS tem um Observatório Solar Indígena, na sede em Dourados, que faz parte do catálogo de “Centros e Museus de Ciência do Brasil 2015”, uma publicação com apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Professora da UEMS participa de análise da auditoria sobre barragem de Mariana

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 16/12/2015
A professora da UEMS Kelly Vieira auxilia na avaliação das auditorias
A professora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Kelly Regina Ibarrola Vieira, é uma entre os dez analistas ambientais escolhidos no Brasil para analisar os laudos ambientais feitos antes e depois do rompimento da barragem de Mariana, em Minas Gerais. Uma das maiores tragédias ambientais já ocorridas no mundo.  Kelly, que também é egressa da Universidade, é a única de Mato Grosso do Sul a participar da equipe.
De acordo com Kelly Vieira, o papel do grupo de profissionais é analisar se nas fiscalizações anteriores foram aplicadas as medidas para minimizar os impactos e recomendações legais, além de entender o impacto e buscar medidas para o risco deste tipo de impacto seja diminuído, principalmente, nos rios do país. Em janeiro está marcada uma viagem para que a docente e os outros analistas visitem Mariana e os locais afetados pela lama da barragem.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

“Desafio da UEMS é solidificar programas de pós-graduação”, diz pró-reitora


O ano de 2015 deu continuidade a um período de importantes conquistas que a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) teve na área da pesquisa e pós-graduação. A instituição aumentou o número de programas de cursos stricto sensu (mestrados e doutorados) em 350%, desempenho coroado com a melhor classificação na categoria pesquisa entre as universidades estaduais do Centro-Oeste, segundo o Ranking Folha de Universidades.
Já no início de 2015 a UEMS dava início ao segundo curso doutorado, em Agronomia, na Unidade de Aquidauana. A Universidade que já tinha conquistado o primeiro doutorado próprio entre as demais estaduais do Centro Oeste, avançou e foi também a primeira instituição a conquistar um segundo doutorado.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Pesquisa da UEMS alerta para a não utilização de chorume como “adubo”

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 14/12/2015
Chorume é resultado do apodrecimento de lixo
Um líquido escuro e que polui o ambiente. Este é o chorume, que é resultado de putrefação de matérias orgânicas. Os aterros sanitários, com a decomposição do lixo, estão cheios dele. Por isto uma pesquisa realizada na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) alerta a população para que não utilize este líquido como uma espécie de “adubo”, ou seja, misturando-o a terra para efetuar os plantios, pois ele é altamente poluidor para o solo, a água e até prejudicial para o ser humano.
Na UEMS já existem estudos com a reutilização de lodo de esgoto para produção de mudas nativas do cerrado, por isto a pesquisa foi necessária para mostrar que o chorume não pode ser enviado às estações de tratamento de esgoto e nem reaproveitado na produção de plantas, pois pode ser prejudicial para qualquer meio em que for inserido.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Reitor apresenta projetos da UEMS para o Ministro da Defesa

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 07/12/2015
Ministro e reitor junto a equipe da UEMS
Na manhã desta segunda-feira (07), o reitor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Fábio Edir dos Santos Costa, apresentou ao Ministro da Defesa, Aldo Rebelo, os projetos da Universidade que podem cooperar no Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron). A exposição ocorreu na Brigada Guaicurus em Dourados, onde o Ministro conheceu o projeto Sisfron.
O reitor colocou a Instituição a disposição do Ministério da Defesa e do Exército nas áreas de geração de conhecimento e capacitação de pessoas à serviço da sociedade. “Nós temos capacidade instalada na nossa Universidade e poderemos contribuir, por exemplo, na área da agropecuária, de defesa sanitária e ambiental; por meio também do Grupo de Estudos de Fronteiras  (Geofronter), que tem desenvolvido ações nas áreas de estudos de territórios, com parcerias com universidades do Chile, Paraguai e Argentina. Outra contribuição, será por meio do convênio da UEMS com duas universidades da República Tcheca (país que é referência mundial no gerenciamento de catástrofes), nós queremos trazer esta tecnologia para o MS, para estudarmos a metodologia de utilização e disponibilizarmos aos nossos parceiros”, explanou o reitor.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

UEMS capacita 160 militares com curso de informática


03/12/2015

Saiba mais: http://www.portal.uems.br/noticias/detalhes/uems-capacita-160-militares-com-curso-de-informatica-093619
Imagens: TV Morena/Rede Globo
Reportagem: Diogo Nolasco

Unami encerra atividades de 2015 com coreografia e mostra de arte

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 03/12/2015

Nesta quarta-feira (02) a Universidade Aberta da Melhor Idade da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) encerrou as atividades de 2015 com apresentação de coreografia e uma mostra de quadros, ambos produzidos pelos idosos participantes do projeto.
A tarde foi repleta de participações dos alunos, que apresentaram uma coreografia ao som da música “New York, New York”, de Frank Sinatra, além da mostra de quadros pintados por eles. Também alguns que participam do Coral do Centro de Convivência de Dourados, juntamente com outros integrantes do coro, apresentaram algumas músicas.