quarta-feira, 27 de abril de 2016

Seminário “Diversidade na UEMS” tem oficina de amarração de turbante

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 27/04/2016
O Seminário “Diversidade na UEMS” inicia nesta quinta-feira (28) e vai até sábado, 30 de abril, em Dourados, e oferece diversas oficinas aos participantes, entre elas a de amarração de turbante, Produção de Artesanato Indígena, Oficina Básica de Libras I e II, Educação Escolar Indígena, entre outras.
A oficina de amarração de turbantes tem o objetivo de revelar o cabelo crespo como suporte criativo, matéria prima para infindas criações artísticas e originais, a despeito da rigidez imposta pelo padrão estético do cabelo liso.
“Este padrão oprime o corpo e a autoestima de homens e mulheres afrobrasileiros. Então a atividade é uma vivência em que se busca propiciar a troca de experiências acerca do modo como cada indivíduo lida com seu cabelo e as conotações sociais e políticas interligadas ao tema. Possui diversos formatos, a adequar-se de acordo com o público que será atendido na ocasião”, descreveu a ministrante, Denise Morena de Souza.
A proposta é que por meio de atividades de dinâmicas, bate-papo, recursos de áudio visual, poemas e tecidos, promova-se a interação e a sensibilização dos participantes para com o tema das relações raciais.

Oficinas e horários
Amarração de Turbantes:  29/04 – 13h às 17h; 30/04 – 8h às 12h
Aqueles/as que se inscreverem nessa oficina deverão providenciar dois metros de tecido, sendo cada metro de tecido diferente. Um metro de tecido viscose e um metro de chita.

Educação Escolar Indígena: 29/04 – 13h às 17h; 30/04 - 7h30 às 11h30
Ministrantes: Professor Carlos Magno Naglis Vieira e Antônio Carlos Seizer da SIlva  
Oficina Básica de Libras I e II: 28/04 – 8h às 12h e das 13h às 17h; 29/04 - 13h às 17h; 30/04 - 7h30 às 11h30
Ministrante: Professora Alexandra Mara Pereira   
Literatura Afro-Brasileira e Africana no Ensino Básico e Superior: Um Conceito em Construção: 29/04 - 13h às 17h; 30/04 - 7h30 às 11h30
Ministrante: Professora Eliane da Silva
Gênero e sexualidade na universidade: O direito à diversidade e diferença! – 29/04 - 13h às 17h 30/04 – 7h30 às 11h30
Ministrantes: Professora Roberta de Souza Salgado e Professora Ana Luisa Alves Cordeiro   
Política Cultural: 29/04 – 19h às 22h
Ministrantes: Coletivo Thereza Africana e Coletivo Diversas
Para saber os detalhes de cada oficina clique aqui

Sobre o Seminário
O evento é coordenado pelo Centro de Estudos, Pesquisa e Extensão em Educação, Gênero, Raça e Etnia (CEPEGRE). As inscrições são gratuitas e  poderão ser feitas no ato de credenciamento do evento.
O evento tem entre seus objetivos discutir o racismo institucional na Universidade, suas múltiplas expressões, formas de combate e superação; refletir sobre as relações de gênero e suas implicações no cotidiano acadêmico; sensibilizar a comunidade acadêmica com relação promoção da igualdade racial, étnica, gênero e social; discutir as práticas de acessibilidade e as respectivas redes de apoio ao acadêmico com deficiência.
O acesso à programação completa pode ser obtido no site http://diversidadenauems.wix.com/uems.


terça-feira, 26 de abril de 2016

Órgão da ONU destaca pesquisa com bovinos pantaneiros da UEMS

 Por: Eduarda Rosa | Postado em: 26/04/2016
A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (Food and Agriculture Organization of the United Nations - FAO) destacou em reportagem o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo professor, Marcus Vinícius de Oliveira, com os bovinos pantaneiros, na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) de Aquidauana, ressaltando sobre o futuro da segurança alimentar.
Esses animais estão em extinção, mas há cerca de 500 sobreviventes no Pantanal brasileiro. Os bovinos da raça Pantaneira, também conhecido por gado Tucura, se adaptaram e resistiram por ser uma espécie geneticamente resistente e que tem sobrevivido às condições ecológicas extremas da região do Pantanal, por isso sua carne e leite são considerados de mais qualidade.
Pensando nessa problemática, a UEMS e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) excutam um programa multidisciplinar de Resgate dos Bovinos Pantaneiros. “Este trabalho possui, além da conservação da pureza racial e multiplicação dos animais, o objetivo de gerar informações técnicas sobre essa base genética europeia adaptada as condições do Pantanal. Visa ainda obter a certificação de origem do gado, baseado na seleção assistida por marcadores genéticos associados a composição do leite e da qualidade da carne. E assim, contribuir para a salvação desse gado, preservar as tradições dos povos pantaneiros e efetuar a conservação do Bioma Pantanal”, ressaltou o professor da UEMS. 
A FAO é situada em Roma, na Itália, e é ligada a Organização das Nações Unidas (ONU). “Para a nossa pesquisa este destaque gera grande credibilidade e com este endossamento do órgão internacional mais importante da área poderemos buscar recursos externos internacionais”, disse.  Para acessar a matéria em inglês acesse: http://www.fao.org/news/podcast/pantaneiro/en/.
A pesquisa também foi publicada na revista científica Nature, em 2013, e no livro da FAO "The Second Report on the State of the World’s Animal Genetic Resources for Food and Agriculture”, no capítulo "Indigenous people and scientists team up to conserve Pantaneiro cattle”, em 2015.

Originalmente publicado em: http://www.uems.br/noticias/detalhes/organizacao-das-nacoes-unidas-destaca-trabalho-com-bovinos-pantaneiros-da-uems-153142 

UEMS promove noite de autógrafos para detentas do semiaberto

Por: Eduarda Rosa | Postado em: 26/04/2016
Noite de autógrafos para as detentas
As detentas do semiaberto feminino de Dourados tiveram uma noite diferente. Elas receberam, no dia 15 de abril, a autora Débora Simões, servidora técnica da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), que apresentou o seu livro “Sobre meninas e borboletas” e promoveu uma noite de autógrafos, por meio da Assessoria para Popularização da Ciência e Apoio ao Desenvolvimento Educacional (Acade) da Universidade.
O projeto “Mulheres na Ciência” desenvolvido pela Acade iniciou no ano passado, por oportunidade da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, com a observação do céu e continua com esta e outras atividades.
“As minhas expectativas foram totalmente superadas. Eu tive que reinventar certos conceitos, após esta experiência. É maravilhoso poder socializar conhecimento, socializar literatura e arte e perceber que quem não teve tanto acesso, quando tem encanta, aceita e absorve, isto é muito bom. Expliquei a elas um pouco do título sobre a metáfora da transformação das borboletas. Que é sobre o sonho que cada um tem, que mesmo nascendo uma lagarta, estando presa em um casulo, depois deste processo a borboleta ganha asas e é capaz de voar para onde ela quiser”, explicou Débora, autora do livro de poesias sobre o universo feminino.
Segundo o professor Edmilson de Souza, assessor da ACADE, o objetivo da ação foi promover a inclusão social. “Além da observação do céu, a proposta é levar a comunidade acadêmica para contribuir com o projeto, com informações que tenham a ver com o universo delas. A Débora foi a primeira convidada, pois ela tem poesias que falam do universo da mulher, e estas experiências diferentes na vida destas detentas podem modificar o modo como elas veem o mundo. Tanto que algumas detentas se voluntariaram para ler as poesias e a diretora disse que muitas delas são bem caladas e não participam muito”, ressaltou o professor.
Após a apresentação do livro, cada interna recebeu uma cópia da obra patrocinada pela Fapems (Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura de MS),  as próprias internas leram os poemas que achavam interessantes em voz alta e depois houve o momento dos autógrafos.
De acordo com a diretora do semiaberto feminino, Luzia Aparecida Ferreira, estes momentos proporcionados pela UEMS ajudam na autoestima das detentas, “elas gostaram muito e avaliaram, posteriormente, como um momento mágico, puderam observar a lua e também ler os poemas. Se sentiram agraciados e foi muito bom para uma quebra da rotina e, principalmente, para autoestima delas”.
 
Originalmente publicado em: http://www.uems.br/noticias/detalhes/uems-promove-noite-de-autografos-para-detentas-do-semiaberto-143326